fbpx

Como estimular o desenvolvimento da linguagem oral

A equipe da clínica ReEscreva elaborou um material contendo informações para pais sobre como aproveitar o dia-a-dia para estimular a linguagem das crianças.

Atente para o desenvolvimento auditivo e motor.

  • Leve seu filho para exame auditivo. Detectar sons, inclusive os diferentes sons da fala, é essencial para o desenvolvimento da linguagem.
  • Otites e problemas respiratórios devem ser considerados e cuidados. É necessário garantir que a criança sempre detecte sons.
  • Chame a atenção da sua criança para seus movimentos de face enquanto fala. A criança olha e tende a reproduzir.
  • Leve seu filho para exame auditivo. Detectar sons, inclusive os diferentes sons da fala, é essencial para o desenvolvimento da linguagem.
  • Otites e problemas respiratórios devem ser considerados e cuidados. É necessário garantir que a criança sempre detecte sons.
  • Chame a atenção da sua criança para seus movimentos de face enquanto fala. A criança olha e tende a reproduzir.

Mesmo antes de começar a falar, a precisa já desenvolve sua comunicação.

Comunique-se com a criança.

  • Ouça e veja com atenção qualquer ação da criança: choro, movimento, gestos, olhar, sorriso, gritos, caretas.
  • Interprete a comunicação: quando ele faz, como e por que. O que quer te mostrar? O que quer solicitar? Não está gostando de algo? Está dizendo que gosta e quer mais?
  • Responda para a criança: dê sentido às suas ações de comunicação
  • Ao falar com a criança: olhe para sua face e seus olhos, fale devagar, varie a entonação, use expressões faciais e gestos
  • Estimule sua criança a iniciar a comunicação: dificulte o acesso a certos brinquedos, objetos e ações. E quanto mais a criança percebe que você responde, mais estimulada fica a iniciar a comunicação.

Durante a brincadeira, a criança aprende a relação entre os objetos e entre os objetos e as pessoas. Começa a internalizar as ações e logo precisa de nomes e frases para estas internalizações.

Brinque com a criança.

  • Explore os objetos – logo aparecem os substantivos, adjetivos, pronomes: “o carro”, “bebê bonito, “grande/pequeno, “ela”.
  • Explore o ambiente– desenvolvem-se as várias noções, como de espaço e de tempo, com o uso de verbos e advérbios: “subir”,“dentro/fora”, “longe/perto”, “rápido/devagar”
  • Estimule o uso dos objetos convencionais– primeiras combinações de palavras: “beber água, “dar comida”.
  • Sequência de ações em brincadeiras de casinha, posto de gasolina, compra na feira – desenvolve sequência lógico-temporal e de sentenças.

A criança aprende em diversas situações e ao receber modelos linguísticos.

Nomeie. Conte. Narre. Aproveite o dia-a-dia.

  • Dê nome aos objetos de casa, às pessoas, às ações da rotina: “vamos lavar o cabelo”, “você quer leite”, “que desenho bonito” 
  • Fora de casa, mostre e nomeie locais, pessoas, natureza: “que chuva forte”, “vamos voltar para casa”, “primeiro, vamos à padaria, depois ao supermercado”
  • Dê referências temporais – manhã, tarde, noite; ontem, hoje, amanhã; antes, agora, depois: “já é noite, hora de dormir”; “agora vamos comer e depois passear”
  • Dê referências espaciais – perto, longe; aqui, ali, lá: “a padaria é perto de casa”; ‘vamos de carro porque é longe”
  • Estimule a memória – lembrar itens que precisam comprar no supermercado ou ações que farão no domingo: “amanhã precisamos ir para a escola, depois temos aula de ballet e por último visitar a vovó”.

As histórias fornecem um modelo com sequência de ações, uso de palavras de várias categorias gramaticais e sentenças diversificadas. Estimula atenção, memória, compreensão, organização e expressão.

Conte histórias.

  • Proporcione a sua criança ouvir muitas histórias.
  • Converse sobre a história: ordene as ações, fale sobre os personagens e suas reações, identifique o problema da narrativa, elenque as tentativas de resolução e fale sobre a conclusão.
  • Quando a criança permitir, faça perguntas usando “quem”,“quando”, “como”, “por que”, “e se fosse de outra forma”.
  • Ofereça o título e tente descobrir com a criança o que acontecerá na história. Ou invente outros finais. E insira mais personagens. Pense em formas alternativas de resolver o problema. Converse sobre as ações e sentimentos dos personagens.
  • Estimule desenhos para representar a história. Faça teatros. Use bonecos para narrar histórias.

Uma das habilidades essenciais para alfabetização, na nossa língua, é o processamento fonológico. Refletir sobre os sons e manipulá-los ajuda a formar representações bem estabelecidas na memória. Na hora da alfabetização, os sons devem estar todos ali, disponíveis para suas letras.

Trabalhe com os sons.

  • Proporcione música com rimas.
  • Brinque com rima: pão e mão rimam? Me fale uma palavra que rima com martelo.
  • Vamos bater palmas para cada pedaço da palavra (sílaba): cas-te-lo.
  • Cada um recebe uma figura: o nome que tiver mais pedaços ganha.
  • Listar palavras que começam com o mesmo som: vamos fazer uma  lista de 10 itens?
  • Aproveite a situação para brincar com os sons: Marcelo e Marta começam com o mesmo pedaço. Cinderela e Bela rimam. Dinossauro tem mais pedaços do que cachorro.

O contato precoce com material escrito permite o interesse e motivação futura durante a escolarização formal. Ofereça material escrito. Em dado momento, entenderá a função da linguagem escrita.

Insira a criança no mundo da escrita.

  • Deixa a criança folhear livros, revistas, gibis, jornais.
  • Leia para criança, passando o dedo pela escrita.
  • Mostre as imagens, nomeie as cores e os itens.
  • Estimule sua atitude de falar enquanto passa os dedinhos pela escrita. Leia junto com a criança, mesmo que ela não saiba ler.

Luciene Stivanin

Fonoaudióloga
CRFa 2-14385

• Fonoaudióloga USP
• Doutorado em Ciências da Reabilitação USP
• Pós Doutorado na área de Fonoaudiologia Educacional USP
• Atuação em linguagem, aprendizagem e cognição

Compartilhe

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
E-mail
Share on print
IMprimir

Leia mais

O que são as funções executivas?

Toda criança adquire conhecimento através de uma série de funções cognitivas, como memória, linguagem, atenção, percepção e as funções executivas. Cada uma delas é responsável por processar informações específicas, mas todas se interrelacionam de alguma maneira.

Ler agora »

Dislexia

A Dislexia é um transtorno do neurodesenvolvimento, caracterizada por dificuldade persistente em leitura, apesar de capacidade intelectual, instrução escolar e orientação familiar adequadas.

Ler agora »