Queixas na escola – dificuldade ou transtorno de aprendizagem?

Quando a escola convoca os pais para apontar uma dificuldade do aluno, é muito importante entender a causa desta dificuldade.

Queixas frequentes podem ser: não consegue ficar quieto, não presta atenção na aula, fala muito, as notas estão baixas, não entende o texto, dorme nas aulas, dificuldade na socialização, dentre várias outras.

Uma dificuldade pode ter diversas causas. Por exemplo, a dificuldade para manter-se quieto na sala de aula pode ser causada por desinteresse, déficit de atenção, dificuldade na leitura e escrita, etc. Uma dificuldade em leitura pode ser causada por problemas de comportamento, falha no método de ensino, resultante de alterações no desenvolvimento da linguagem, etc. Considerar e investigar os fatores que podem prejudicar o desempenho e o comportamento na escola é essencial em qualquer avaliação.

Há muito sofrimento por conta destas dificuldades. Nunca confunda estes sinais com preguiça, desinteresse e má vontade.

As queixas podem se referir a apenas uma dificuldade, decorrentes de problemas pontuais do ambiente ou ser um transtorno, com dificuldades crônicas.

Afinal, qual é a diferença entre dificuldade e transtorno de aprendizagem?

Dificuldade em leitura, escrita e aritmética podem ocorrer por fatores ambientais como falha no método de ensino/aprendizagem, falta de estimulação e motivação, problemas emocionais, vivência de traumas, dificuldades sensoriais (perda auditiva e de visão) e ainda ser decorrentes de quadros como deficiência intelectual, TDAH, síndromes e outras patologias. Por exemplo, crianças com deficiência intelectual podem ter dificuldade para aprender a ler e escrever em decorrência do baixo funcionamento cognitivo.

Já o transtorno de aprendizagem é caracterizado por dificuldade específica em leitura, escrita e/ou matemática, decorrente de alterações neurobiológicas. Embora as dificuldades apareçam durante o ensino formal, a criança já nasce com esta condição. As dificuldades relatadas acima podem ocorrer junto ao transtorno de aprendizagem, mas não são as suas causas.

O diagnóstico deve ser feito por equipe multidisciplinar e muitas vezes é necessário um período de intervenção para analisar a resposta do paciente ao tratamento.

Confie em avaliações que englobem várias áreas. É muito importante saber caracterizar as dificuldades e suas causas! Quanto maior a parceria entre a família, a escola e os profissionais de saúde, maiores são as chances do diagnóstico correto e do plano de tratamento adequado!

Atualmente, muitos adultos procuram por ajuda, com queixas de dificuldades na faculdade, no trabalho e na família, como desatenção, dificuldade de memória e de leitura e escrita. Apesar de muitos terem concluído o ensino superior e alcançado cargos desejados, relatam uma vida de sofrimento na escola e se deparam, ainda, com dificuldades pontuais como redigir um e-mail, lembrar-se de conteúdos expostos em reunião ou lidos, manter-se concentrado e dificuldade para planejar, organizar e tempo excessivo para executar as tarefas.

Por isto, é importante identificar as causas precocemente para evitar problemas emocionais decorrentes do fracasso escolar. E quando identificado na vida adulta, temos métodos para estimular e treinar habilidades cognitivas para aprimorar leitura, escrita, memória e organização.

A equipe do ReEscreva considera todos os fatores que podem causar, estar associados ou ser consequentes às dificuldades!